Saiba mais sobre os 9 tipos de fome

Tempo de leitura: 11 minutos

Imagine-se andando pela rua, quando você sente um aroma delicioso de comida. Ou depois de um dia super estressante no trabalho, você vê no armário uma barra de chocolate e sem titubear pega e agradece por ele estar ali, pois era tudo que precisava naquele exato momento. Estas situações são algumas características dos 9 tipos de fome que você pode ter.

Sabemos que existem a fome física, emocional e comportamental como escrevi noutro post sobre Como diferenciar os tipos de fome.

Mas, neste post, vou explicar descrever com detalhes os 9 tipos de fome do Comer Consciente!

Isso mesmo! São 9 diferentes fomes que um único ser humano pode ter.

O ato de se alimentar é um processo fisiológico, de extrema necessidade para a nossa sobrevivência. Também, é um momento da vida social das pessoas.

Claro que comemos quando sentimos fome, mas o grande problema que acontece com as pessoas que percebem o aumento de peso, é que ao longo de seus dias, influências externas afetam o modo como se alimentam.

Sejam por questões sociais acompanhando alguma amiga, ou indo jantar fora com o marido ou namorado. Ainda, as pessoas são fortemente afetadas por questões emocionais, ou seja, quando estão tristes, ansiosas ou estressadas.

Fatores que desencadeiam a fome

Existem inúmeros fatores que ativam a busca por alimento. Mas, imagine anos atrás quando você ainda era uma linda bebê!

O seu único alimento era o leite materno. E o que este precioso alimento significava?

Além de ser um líquido que te nutria com a quantidade exata de nutrientes, onde não precisava de mais nada para sua sobrevivência. Existia o afeto, o carinho e amor entre a sua mãe e você.

Mais tarde, tornado uma criança, você começa a enxergar determinados alimentos como sacrifício ou gratificação. No momento que te dizem para comer a sobremesa só depois de terminar toda a comida no prato.

Na adolescência e na fase adulta, você passa a classificar os alimentos como bom e ruim, ou que engorda e emagrece.

OBSERVAÇÃO: essa classificação é apenas o início que origina o famoso efeito sanfona. A partir do momento que você não se permite a comer algo de que gosta ou que esteja com vontade porque está de dieta!

Mas, todas nós, estamos expostas as influências desse sentimento de fome, como por exemplo: sentir o aroma de uma comida que nos desperta a vontade de comer, imaginando a satisfação que sentiríamos ao experimentá-la, fazendo até a boca salivar.

Como surgiu os 9 tipos de fome?

De modo a explorar de maneira mais consciente a fome, ter capacidade de diferenciá-la com mais atenção e saber agir em todas as situações da fome, a professora de meditação e pediatra Dra Jan Chozen Bays, classificou em nove, a quantidade dos vários tipos de fome.

1 – Fome dos olhos

Fala-se que comemos primeiro com os olhos, concorda?

Imagine, dois pratos com os mesmos alimentos, porém com aparência extremamente diferentes.

Um, foi montado sem qualquer capricho, como se a comida fosse jogada no prato. Enquanto, no outro prato, a comida foi perfeitamente condicionada, visto que teve um toque de carinho.

Apesar de serem os mesmos alimentos, você enxerga de forma totalmente diferente. O que estimula a sua fome apenas pela visão.

Se durante o momento da refeição, ao mesmo tempo, você faz outras atividades, como ver TV ou celular, este momento fica incompleto, não gera a real satisfação desta fome, pois você não aprecia a comida.

Sem atenção no momento da refeição

Também, mesmo com o nível de satisfação completo, em que você não apresenta a fome física, se olhar para um bolo de chocolate, um pudim ou outra sobremesa de sua preferência, te desperta a vontade de comer e ainda acredita que precisa comer.

2 – Fome do olfato (nariz)

Sentir o aroma de alguma comida ou até mesmo sentir o cheiro do alho fritando na panela, automaticamente ativa a sensação da fome.

Sentindo o aroma da comida

E surge na mente uma preconcepção de como a comida deve estar deliciosa, o que na verdade, é o cheiro da comida.

Você percebe nitidamente essa relação quando está resfriada e com o nariz entupido. O que acontece nessa situação? Simplesmente, você não sente o cheiro da comida que o faz perder a graça.

Já comeu algum alimento que o cheiro estava realmente delicioso, mas acabou não atingindo suas expectativas?

Então, para satisfazer a fome do nariz, procure sentir o perfume da comida antes de começar a comer.

3 – Fome da boca

A boca é o lugar que se sente os sabores salgados, doces, apimentados, amargos, azedos, os mais variados temperos e texturas como líquidos, pastosos ou sólidos.

Se imagine, comendo algo e não conseguir parar ou quando entra em ação a boca nervosa que parece querer mastigar sempre alguma coisa. É a fome da boca que dita esses momentos.

Trabalhe com seu lado consciente à ponto de estar aberta e com toque de curiosidade como se fosse a primeira vez de estar experimentando um determinado alimento, te traz novas descobertas a novos sabores e texturas, auxiliando sua satisfação deste tipo de fome.

Saboreando cada garfada da refeição

4 – Fome do tato

A satisfação da fome do tato é sentir o alimento através do toque pelas mãos e dedos, percebendo a sua textura, temperatura e consistência.

Imagine como é diferente comer um frango à passarinho, uma fatia de pizza ou uma coxinha segurando na mão ou segurando o garfo e faca!

Comendo um pedaço de pizza com a mão

E sentir todos esses aspectos do toque pode influenciar na quantidade do que você come e do que consegue comer.  Por exemplo, no caso de petiscos, castanhas ou lanches que muitas pessoas devoram em pouco tempo os alimentos que são comidos pela mão.

Mas, isto é apenas uma dica para que você tenha mais atenção na fome do tato.

5 – Fome do ouvido

Este é um dos tipos de fome que é despertado pelo som da panela de pressão apitando, um pacote sendo aberto, o barulhinho que um alimento faz ao dar uma mordida ou ao mastigar devido à sua crocância ou mesmo alguém falando sobre alguma comida gostosa.

Atenta com o barulhinho da mordida no alimento

Tudo isso são gatilhos para despertar a sua vontade de comer.

Se você está no piloto automático, ou seja, comendo sem atenção, pode não se dar conta do porquê está comendo e não satisfazendo este tipo de fome.

Mas, se você percebe o que te satisfaz é o som da mastigação. Aquele “crec crec” irresistível de uma comida deliciosamente crocante.

Então, é possível identificar se a sua fome está sob o controle da fome do ouvido ou do estômago que veremos em seguida.

6 – Fome do estômago

Sabia que escutar o estômago roncar nem sempre é sinal de fome? Isso, porque sentimentos como ansiedade e nervosismo pode provocar barulhinhos no estômago.

Mas, claro que a sensação pode ser a fome física, que é a fisiológica e é o sinal de que o organismo precisa se nutrir de comida.

Estando mais atenta, você se alimentar de forma mais consciente e evita buscar alimentos ricos em açúcar e gordura num momento comum da ansiedade.

A partir do momento que você cultiva a habilidade de escutar o seu estômago, começa a se familiarizar e identificar os movimentos e sons que ele faz.

Assim, você tem a exata percepção das sensações que surgem quando está sem se alimentar depois de 3h, 4h, 5h …

Consciente das sensações do corpo

Deste modo, você encontra o melhor momento para se alimentar e considera qual o intervalo médio entre as refeição, dos alimentos que comeu na refeição anterior se altera o nível de sua saciedade.

Assim, promove mais seu autoconhecimento e entende que cada organismo funciona de um jeito. Por isso não existe um horário padrão para fazer suas refeições, nós somos diferentes um do outro.

7 – Fome celular

A fome celular é aquela quando você sente que está querendo comer o “mundo”. Mesmo que a comida não esteja atraente e não pareça estar tão gostosa, você sente a necessidade de comer.

Garanto que você já ouviu: “Quando se está com fome, tudo é gostoso”. Realmente, é isso que acontece, porque queremos saciar a fome.

Este comer mais intuitivo é natural nas crianças, pois procuram comidas que tenham os nutrientes que o corpo está pedindo.

Se esta fome não for saciada rapidamente, é provável que apareça sintomas de quando nossas células precisam de nutrientes, como:

  • tontura
  • dor de cabeça
  • fraqueza
  • mal humor
  • nervosismo

Com o passar dos anos, a influência de fazer dietas e da busca por algo externo faz com que haja privação do que se sente, te distancia do seu ser e corpo.

Para identificar a fome celular é essencial estar muito conectada com seu corpo para perceber estes sinais. Reaprenda a escutá-lo e atenda aos nutrientes que o seu corpo pede.

Exemplos:

Num dia super quente, quando queremos beber algo gelado ou comer uma salada refrescante.

Num tempo bem frio, que buscamos um chá ou tomar uma sopa bem quentinha.

Apreciando uma bebida quente num dia frio

8 – Fome da mente

O número de pessoas ansiosas cresce a cada dia, segundo a pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 33% da população mundial sobre de ansiedade. O comer por ansiedade está se tornando bem preocupante.

É um tipos de fome que se origina pelos pensamentos de problemas do cotidiano, discussões, planejamentos, de aguardar algo que vai acontecer, medo que algo não aconteça do jeito que você espera.

Fazer dietas e mais dietas, vivenciar o efeito sanfona e dar foco e atenção ao que não se pode comer, irá te distanciar da conexão com o corpo e mente.

A mente é impermanente, ou seja, há inúmeros pensamentos que passam pela sua cabeça ao longo do dia.

Ter a mente constantemente agitada acontece a fome da mente, onde você coloca na cabeça que precisa comer alguma coisa. Mas, esta coisa não se trata de preencher com comida, e sim de algo que seja a solução para o seu problema.

Comendo num momento de estresse

Retome sua atenção para o momento presente e tranquilize a sua mente. Você terá mais consciência sobre como seu corpo reage de acordo com cada emoção e do que necessita.

9 – Fome do coração

Sem dúvida, a alimentação está conectada com suas emoções.

Alimentos podem te remeter há algum tempo passado, às memórias da infância, lembranças de aconchego e conforto.

Por isso, em muitos momentos, a sua mente busca determinados alimentos que remetem à algum momento feliz que você viveu como um sistema de recompensa do cérebro.

É essencial compreender que os alimentos não podem ser a solução para preencher suas emoções, sendo elas positivas ou negativas.

A fome do coração pode transmitir o desejo suprimido de ser acolhida, de receber um abraço ou de ser reconhecida.

Conforto de ser abraçada

Normalmente, conseguimos diferenciar muito bem a fome da vontade de comer!

Concluindo…

Agora, com a explicação dos 9 tipos de fome, te ajudará no autoconhecimento e a tomar as decisões mais conscientes, trazendo as suas ações a seu favor. Inclusive, no seu processo de emagrecimento, de forma que você respeite e honre o seu corpo. Tornando uma atividade natural e prazerosa que te proporcionará mais saúde e bem-estar diariamente.

Comece hoje a identificar esses tipos de fome do comer consciente e deixe seu comentário sobre alguma dúvida.

Um grande abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *